SEGUE A SULA MIRANDA
NAS PLATAFORMAS DIGITAIS





Suely Brito de Miranda, Sula Miranda nasceu em 12 de novembro de 1963 na cidade de São Paulo. Sua mãe, dona Maria José conheceu o seu Mário, no Rio de Janeiro. Tiveram três filhas. Dona Maria José e seu Mário vieram para São Paulo, trazendo no colo a primeira filha, Maria Odete (Gretchen) e Yara, e logo após veio Suely. As três têm aproximadamente dois anos de diferença entre si.

Sula nasceu com um sério problema na laringe. Por ser estreita demais, dificultava a passagem dos alimentos. Para complicar, tinha o timo aumentado, uma glândula situada na parte inferior do pescoço, dificultando qualquer tipo de alimentação. Qualquer secreção na saliva era suficiente para que a recém-nascida engasgasse, colocando em risco sua vida. Era uma situação muito difícil, que obrigava uma constante vigilância, principalmente à noite, quando os pais se revezavam na cabeceira de Sula.

Examinada por uma junta de quarenta médicos quando tinha menos de mês de vida, a conclusão foi que Sula deveria se submeter a uma traqueostomia (cirurgia com que se estabelece comunicação entre a traqueia e o exterior), que a condenaria a passar o resto de sua vida com uma abertura externa na garganta, por onde falaria. Sua mãe, porém, não permitiu a operação. Entregou o caso a Deus, no momento em que disse “Deus me deu ela assim, que seja feita a vontade dELE.”, mesmo sabendo dos riscos de vida que a filha corria.

O pediatra Dr. Jayme Murahovschi que acompanhava a doença de Sula resolveu, assumir o caso e tratar da criança, tentar um tratamento à base de fortes antibióticos. Corria riscos com esse tratamento, mas não sabia se havia chances de cura.

Com muita dedicação, fé e perseverança da mãe e do médico o tratamento deu certo. Hoje o Dr. Jayme Murahovschi, costuma citar esse caso aos seus alunos, além de ter o carinho, a gratidão e a confiança de Sula, ele foi o pediatra de seu filho Natan. O pediatra até hoje não entende como Sula virou cantora. A chance de que ela tivesse uma vida normal não era grande, mas ela conseguiu mais do que isso.

Durante toda infância Sula morou no bairro do Ipiranga, em um sobrado que tinha um salão grande na parte inferior. As brincadeiras vividas pelas irmãs eram todas voltadas para atividades artísticas, como dançar, cantar e interpretar esse ambiente pode ter influenciado bastante na carreira artística delas. Por causa dos problemas de saúde de Sula, aliados a um excessivo cuidado com as filhas, o pai não permitia que elas brincassem como outras crianças nas ruas. Por conta disso, Seu Mário volta e meia chegava do trabalho carregado de brinquedos e instrumentos musicais; tudo para que as meninas ficassem sempre em casa. As três gostavam muito de tocar os cantores da Jovem Guarda na vitrolinha que ganharam do pai. Dançavam, tocavam instrumentos e cantavam o tempo todo.

Das brincadeiras musicais participavam também as amiguinhas do bairro. Era uma algazarra tão grande que deixavam à mãe e as empregadas da casa enlouquecidas. No meio de tanta música e instrumentos musicais, todas se dedicaram ao aprendizado de violão. Sula aprendeu também um pouco de piano. Com 16 anos, Maria Odete (Gretchen) resolveu dar aulas desse instrumento. Uma de suas alunas, chamada Paula, acabou se tornando grande amiga das três irmãs. Este relacionamento de amizade gerou a criação de um grupo musical “As Mirandas”.

No final dos anos 70, Sula, suas duas irmãs e uma amiga formaram o conjunto “As Melindrosas”. Fizeram grande sucesso perante o público infanto-juvenil, vendendo um milhão de discos e tiveram vários discos gravados. O sucesso as levou a fazer um filme, uma comédia musical chamada “É proibido beijar as Melindrosas”.

A fase de adolescência de Sula foi marcada pela participação no conjunto. Sua carreira no conjunto durou três anos.

Ficou afastada da vida artística por quatro anos e depois deste período, decidiu então entrar para o mundo sertanejo que naquele período passava por grandes transformações.

Há algum tempo a música sertaneja vinha sendo renovada. Chitãozinho & Xororó, João Mineiro e Marciano, entre outros, vinham dando uma nova feição a esse estilo de música, conquistando públicos diferentes daqueles que acompanhavam as tradicionais duplas.

Sula, que já tinha em seu gosto musical este estilo como seu predileto, percebeu que poderia apostar naquele caminho novo e promissor. Gravou uma fita com músicas sertanejas, elaborou um projeto visual diferenciado e foi à luta, atrás de quem poderia ajudá-la. Não foi fácil. Até o primeiro disco nessa nova fase, Sula percorreu inúmeras gravadoras.

Após três anos nessa busca, finalmente acabou encontrando sua oportunidade na gravadora 3M. Eles estavam procurando justamente o que Sula oferecia.

Iniciou carreira solo, estava nascendo Sula Miranda, nome que passou a adotar a partir de então. Sula assinou contrato com a 3M e lançou seu primeiro disco, em julho de 1986. Em outubro desse ano, já era recorde de vendas. O sucesso de Sula estava traçado desde o início. Ela veio no movimento de renovação que a música sertaneja estava tendo.

Era jovem, talentosa e cheia de garra, o novo gênero tomou conta dos programas de rádio e televisão.

O sertanejo-urbano, mistura da tradicional música caipira com toques de modernidade nos temas e na introdução de instrumental eletrônico. E assim, ela estava preparada para buscar o seu objetivo.

Sula sabia que as pessoas que gostavam deste gênero musical, gostavam de ouvir falar da vida dos peões de boiadeiro e dos caminhoneiros, todos os cantores deste estilo dedicavam faixas em seus discos a estas duas classes. Teve a felicidade de encomendar uma música a Joel Marques, compositor consagrado, uma canção que falasse da vida da esposa do caminhoneiro, este foi o segredo do sucesso, empatia imediata com a música “Caminhoneiro do Amor”. Em dois meses, todas as rádios estavam tocando essa música. Logo no lançamento, as vendas atingiam mais de cem mil cópias. Aproveitando o embalo, Sula gravava um videoclipe .

Era a sua hora. Os convites para shows não paravam de chegar. Era o sucesso e Sula sabia que tinha que aproveitar. Chegava a fazer 25 shows por mês em eventos por todo Brasil.

Gravou muitos compositores famosos e conceituados ao longo dos anos. Participou de vários programas de rádio e televisão.

Sempre teve forte presença no palco. Atraía públicos de 30 mil a 100 mil pessoas em cada espetáculo. Com seu carisma, prestígio e credibilidade foi uma das cantoras do estilo sertanejo, mais requisitada do país, para anúncios e campanhas publicitárias. Sua marca foi licenciada para diversos produtos. Montou uma grife e abriu 40 lojas franqueadas por todo país com grande sucesso por muitos anos.

SULA MIRANDA – Home -Vídeo.
Sula Miranda também teve sua vida registrada em um home vídeo que foi lançado em todo país, nas bancas de jornal através de uma revista e de um vídeo e que veio atender a enorme expectativa de seus fãs, que ansiavam há tempos por conhecer a trajetória da vida pessoal e profissional da artista.

A COR ROSA, O SÍMBOLO DE SUA CARREIRA.
Essa cor, porém, apareceu por acaso na vida dela. No início da sua carreira, Sula alugou uma casa para instalar seu escritório. Chamou um pintor e pediu que ele pintasse as paredes na cor bege, em um tom bem claro. O pintor errou a cor e acabou pintando cor de rosa. A partir desse fato a vida de Sula mudou, e a cor rosa passou a fazer parte do seu dia a dia, virou uma marca registrada e reconhecida pelo publico durante o período em que atuou como cantora.
Seu ônibus que excursionava pelo país, seu carro, moto e até mesmo bicicleta, ou seja, todo tipo de transporte, para sua locomoção pessoal, tinham esta cor. Até os dias de hoje, a imagem da cor rosa é associada ao seu nome em todo país.

O início de sua carreira como locutora, deu-se na Rádio Record com o programa “Rumo Certo”. Anos depois, após já ter seguido a carreira como apresentadora, retorna a Rádio Capital apresentando diariamente, durante a programação da emissora, vários boletins de caráter informativo, voltados exclusivamente ao caminhoneiro.

Apresentou até junho de 2014 o programa MIX SERTANEJO na radio 102.5 em São José do Rio Preto atingindo várias cidades do interior paulista e algumas em Minas Gerais .

Devido ao grande sucesso como cantora, Sula resolveu apostar na carreira de apresentadora de televisão.

Começou em 1990 contratada por Goulart de Andrade para comandar um programa dedicado aos caminhoneiros, onde mostrava através de reportagens externas a vida desses profissionais da estrada, o programa “Roda Brasil” , transmitido pela Rede Record de Televisão.
Em 1991, um ano depois, após ganhar o “Troféu Imprensa” como melhor cantora de música sertaneja, Sula foi contratada pelo SBT para apresentar o programa “Sula Miranda”, um programa musical voltado exclusivamente à música sertaneja, onde obteve grande sucesso , oportunidade para dar inicio a uma trajetória onde atuou e cresceu como apresentadora.
Em 1993, foi para a Rede Record de Televisão para apresentar todas as sextas-feiras o programa “Sula Miranda”, no qual ela apresentava um programa de variedades, com entrevistas, musicais de todos os estilos, brincadeiras e jogos.
Em 1995, Sula estreou na CNT, ela ganhou o horário nas tardes de sábado, onde apresentou o programa “Sula Show”, com quadros de variedades, musicais, jogos e calouros, onde permaneceu até 1996.
Transferiu-se em 1997 para a Rede Manchete de Televisão para apresentar “Sula Miranda Show”, um programa musical semanal, com grandes sucessos da atualidade e performances da artista, inspiradas nos grandes musicais, mostrando dessa forma toda a versatilidade de Sula. Paralelamente a apresentação deste programa, ela apresentava um quadro no programa “Siga Bem Caminhoneiro”, patrocinado pela Petrobrás e transmitido pelo SBT aos domingos pela manhã.
Em 2000, já na REDE TV, com o programa “Elas,” Sula passou a se dedicar totalmente como apresentadora a um programa voltado especificamente ao universo feminino, onde o conteúdo era de informações atualizadas sobre moda, culinária, decoração, saúde e artesanato.
Em 2002, foi para Rede Mulher de Televisão, com programa “Ser Tão Mulher”. Também dirigido ao público feminino.
Depois de um período ausente em função de ter feito um intervalo na vida de apresentadora e dedicar-se a um projeto musical, retornou em 2004 com o programa “A Tarde é Nossa”, novamente pela rede Mulher de Televisão, um programa com visual moderno, conteúdo dinâmico, descontraído, com dicas e assuntos variados.
Em 2008 na TV a cabo, investiu num novo projeto, um programa direcionado ao segmento de decoração transformando ambientes, mostrando o talento de Sula como decoradora: “Estilo & Ideias”.

Em 2010 por conta do seu excelente trabalho no segmento de decoração aceitou o convite para decorar a REDE CNT de televisão sendo : Sala VIP, recepção, diretoria e presidência da emissora.
Por conta deste trabalho, Sula ganhou um quadro no programa “Noticias e Mais” apresentado por Leão Lobo e Adriana de Castro. Com o nome, “Fazendo A Diferença”, onde além de transformar ambientes, também realizava transformações de situações na vida das pessoas, com o objetivo incentivá-las a não desistirem de seus sonhos.
Todas quintas-feiras as 13h na REDE CNT.

Apresentou até junho de 2014 as quartas feiras o quadro “Na Medida” onde a cada temporada proporcionava ao telespectador a oportunidade de “viajar” pelo mundo, mostrando curiosidades de países e lugares diferentes além de ter muita informação sobre, lazer, gastronomia, turismo, decoração, artesanato e muito mais.
De agosto de 2013 a junho de 2014, apresentou na REDE FAMILIA de televisão o programa “TUDO POSSO”, revista feminina diária de segunda a sexta-feira das 09:30 as 10:30 h, que traz informações sobre : moda, beleza, decoração , saúde, artesanato , curiosidades em geral e aborda assuntos comportamentais como educação financeira, politica e os mais diversos campos de atividade.

Em 1998, durante a sua gravidez, Sula resolveu fazer um curso de decoração para adquirir mais conhecimentos nesse segmento. Já havia concluído aos 19 anos o curso de Educação Artística na faculdade de Belas Artes de São Paulo. Começou atuar na área de decoração assumindo vários projetos. No ano de 1999 associou-se a duas arquitetas, Isabela Nalon e Gigi Gorenstein.

Em 2000 cedeu sua casa de Campos de Jordão, para uma mostra de decoração MOAD e ajudou na organização, onde coordenou e acompanhou o projeto de cada participante atuando de uma forma inédita em mostras, pois o formato de ter que atender as suas necessidades como “cliente’ foi um diferencial neste evento”. Nessa oportunidade Sula aprimorou seus conhecimentos e abriu novas portas para atuar, obtendo grande sucesso como decoradora.

O que era um hobby acabou virando profissão. Hoje Sula atua também nessa área, realizando projetos por todo país.

Na rede CNT e REDE FAMILIA enquanto apresentou, teve a oportunidade de mostrar ambientes decorados por ela e dar dicas sobre decoração.
Hoje todos tem acesso a estes vídeos nos links do youtube no canal Sula Miranda.

Confira fotos de alguns ambientes decorados por Sula Miranda:

APARTAMENTO FEMININO

 

APARTAMENTO MASCULINO

 

CASA DE CAMPO

 

QUARTO DE CASAL

 

APARTAMENTO PRAIA

 

ÁREA EXTERNA / PISCINA

 

AMBIENTE COORPORATIVO

 

ESPAÇO DECORADO

Agenda

23/08

GRAVAÇÃO DVD JUNTOS NA FÉ

Horário: 18 h                
Local: CB Rio – Av. das Américas, 7907 – Rio de Janeiro – RJ

25/07

NA BOLEIA DA SULA – AO VIVO

Local: Rodovia Presidente Dutra, KM 210,5 (Sentido São Paulo) – Em frente ao Posto Sakamoto

24/07

PROGRAMA TERRA DA PADROEIRA

Horário: 9 h
Local: TV Aparecida

DISCOGRAFIA

GOSPEL

SERTANEJO

VÍDEOS

PODCAST

LOJA EM BREVE

DOWNLOADS

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO

Cadastra aqui para acessar ao drive

    DOWNLOADS

    MATERIAL DE DIVULGAÇÃO

    Cadastra aqui para acessar ao drive